top of page

MENU

Clima de Mudanças Escala Zambézia e Nampula para Beneficiar OCB’s


O projecto clima de mudança, implementado por um consórcio de Organizações constituídas pelo CTV, GVC- We World, ICEI e CNJ escala ao longo destas três semanas, as províncias da Zambézia e Nampula afim de capacitar representantes das Organizações Comunitárias de Base (OCB’s) em conteúdos de gestão organizacional e ambiental, visando promover a melhoria de actuação destas, na implementação de suas actividades.



No total são 38 beneficiários, provenientes das Cidades e Distritos das províncias da Zambézia, Nampula e Cabo Delgado que através de um concurso lançado, onde concorreram para se beneficiar do treinamento. A semelhança do que se passa em quase todo o país, as suas comunidades ressentem -se dos efeitos das mudanças climáticas e outros males resultantes da exploração desenfreada de recursos naturais, cuja solução deve também contar com a intervenção dos membros das comunidades através dos membros das associações.


Apesar da manifesta vontade de contribuir para minimizar o impacto destes problemas, as suas agremiações têm fragilidades no que se refere a gestão organizacional, desenho e implementação de projectos, monitoria e avaliação, bem como na angariação de fundos, situações que a iniciativa clima de mudanças pretende contribuir para minimizar.

As sessões de treinamento em curso são facilitadas por personalidades com larga experiência e com currículo notável nas matérias em causa, usando metodologias participativas e práticas.


Enquanto isso na Cidade de Maputo decorreu um workshop envolvendo representantes de vários sectores dos Ministérios da Educação e Desenvolvimento Humano, da Terra e Ambiente, dos Institutos Nacionais de Meteorologia e do Desenvolvimento da Educação, docentes dos ensinos superiores e gerais, Organizações da Sociedade Civil para discutir e constituir grupo de trabalho permanente sobre a contribuição da abordagem da educação ambiental no sector formal em Moçambique.


Este esfoço tem sido possível graças ao financiamento da União Europeia com a comparticipação dos membros do consórcio em 25% num projecto que será implementado até finais de 2025.

Comentários


bottom of page